Postagens

22 de mar de 2013

Alimentação, Obesidade e Doenças


Pessoal, essa matéria foi uma das primeiras que li quando decidi mudar minha alimentação e colocar a atividade física na minha rotina diária. Ela me ajudou muito a abrir os olhos, espero que ajude vocês também, que estão nessa luta.
ALIMENTAÇÃO, OBESIDADE E DOENÇAS
Diz o ditado que o “ser humano morre pela boca – pelo que come e pelo que fala.”

Após experiência de vários anos de consultório lidando com obesos concordo plenamente com o ditado. Quantas vidas poderiam ser salvas se as pessoas tivessem sido convencidas dos malefícios de certos alimentos e dos excessos na alimentação?
O livro “Alimentação que evita o câncer e outras doenças”, de Sidney Federman, relata de modo explícito e muito bem documentado as doenças causadas pelos alimentos. Logo no início do livro lemos uma máxima de Robert Ingersoll, que reflete a pura realidade: “Na natureza não há recompensas nem punições; há somente conseqüências”.
“Boa alimentação
= corpo bonito e saudável
= promoção da saúde.”
Seguindo esse raciocínio, vemos na vida que não existe “ataque cardíaco súbito”. Ele é construído durante anos por intermédio de alimentação inadequada e abusiva.

A gordura que obstrui as artérias cardíacas vai sendo depositada aos poucos ao longo da vida, até que um dia a obstrução se completa e o infarto acontece.

Já comentamos em outra matéria que a obesidade causa várias doenças, entre elas Diabetes, Câncer, Arteriosclerose, Infarto do Miocárdio, Acidente Vascular Cerebral - AVC, Hipertensão Arterial e muitas outras. Se o leitor (a) observar, verá que emagrecendo estará também evitando desenvolver alguns tipos de doenças. Em outras palavras, se tiver alimentação adequada, seu corpo será magro, bonito e saudável. Isto é promoção da saúde.
Com alimentação inteligente, equilibrada em nutrientes, estilo de vida que envolve exercícios físicos e evitando vícios como fumo e álcool é possível prolongar a vida para mais de oitenta anos tranqüilamente e com boa qualidade.
É lógico que a predisposição genética de cada um também conta. Mas, se os fatores ambientais como a alimentação e vida sedentária, que são os fatores desencadeantes, não interagirem com a genética, a probabilidade de desenvolver a doença será menor, ou pelo menos mais demorada.
Sem dúvida a escolha é de cada um. Uma coisa é certa, quem está lendo essa matéria terá um conhecimento a mais entre suas opções de vida. Terá mais motivos concretos e científicos para levá-lo a ter alimentação e estilo de vida saudáveis.
Coloque estes motivos na sua mente para que ocorra a ação de alimentar-se melhor. Essa é a verdadeira motivação – motivos em ação. Motivos claros, verdadeiros, que tirarão você dos hábitos do passado e o impulsionarão para um futuro melhor através do presente consciente.
A única observação é que seu passado de comedor desregrado, sem qualidade e quantidade de nutrientes o forçará a deixar tudo como está. Mesmo que esteja infeliz com seu corpo, isso é mais acolhedor e não te exige nada. A busca da felicidade lhe exigirá normas e atenção. E isso lhe custará algo.


Coluna assinada por:
Dr. José Rui Bianchi
Médico psiquiatra e Autor do livro
"Emagrecer também é Marketing" - DVS Editora